A saúde do cabelo e do couro cabeludo

Postado em 27 de agosto de 2018

Quem nunca ouviu dizer que o cabelo é a moldura do rosto, nosso cartão de visitas? E quem não almeja ter fios saudáveis, volumosos e com vitalidade? O valor dos cabelos é indiscutível, refletem diretamente na autoestima, no humor e na autoconfiança. Revelam a personalidade, criam identidade, refletem a sensualidade e denunciam o nível de vaidade do indivíduo.
Por isso, cada vez mais o interesse no seu cuidado aumenta e junto cresce o número de pacientes com queixa de queda excessiva de cabelo ou fios cada vez mais finos e com volume reduzido.
Há uma variedade enorme de doenças que podem causar essas queixas, mas as duas condições mais frequentes são alopécia androgenética e eflúvio telógeno.
A primeira, também conhecida como calvície, é modulada por fatores genéticos, ocorrendo tanto em homens quanto em mulheres e caracteriza-se pelo afinamento progressivo dos fios, até que eles deixam de crescer, desaparecendo por completo. No homem manifesta-se como aparecimento das entradas e na mulher como uma perda difusa do volume a ponto de enxergar o couro cabeludo.
Já o eflúvio telógeno caracteriza-se por uma perda de cabelo transitória acima do normal, fazendo com que o paciente deixe rastros de cabelo pelo chão, nas roupas e travesseiros, causando verdadeiro desespero durante os banhos e as escovações. Inúmeras condições podem desencadear o eflúvio, como dietas restritivas sem assistência após cirurgia para redução do estômago, anemia, doenças da tireoide, após a gravidez, desequilíbrios emocionais, entre outros.
O que muita gente não sabe é que uma boa conversa com o dermatologista e um exame simples chamado dermatoscopia do couro cabeludo podem ajudar a diferenciar essas duas condições, as quais têm tratamentos individualizados e com excelentes resultados, sobretudo quando o diagnóstico é feito precocemente.
Dentro do arsenal terapêutico podemos utilizar soluções tópicas, shampoos anti-queda, injeções com ativos à base de vitaminas e fatores de crescimento, alguns medicamentos orais, microagulhamento, fotobiomodulação com luz de Led, entre outros.
Não deixe de cuidar da saúde do seu cabelo e couro cabeludo, procure um dermatologista.

 

Por: Dra. Gabriela Capareli
CRM: 131.079 / RQE: 50304
Dermatologista com título de especialista pela Sociedade Brasileira de
Dermatologia Formada pela Universidade Federal Fluminense Especialista em Clínica Médica e Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo

Compartilhar

Outros Posts