Uso do laser de baixa intensidade na terapia capilar

Postado em 10 de setembro de 2019

A perda capilar tem impacto não somente sobre a autoestima, mas também consequências emocionais. O folículo passa por três fases durante o ciclo de crescimento dos pelos:
Anágena: fase de crescimento – 80% dos fios estão nessa fase, crescem cerca de um centímetro por mês;
Catágena: fase de parada mitótica;
Telógena: cerca de 20% dos pelos estão nessa fase – a haste (fio) está presa apenas nas camadas superficiais. Essa é a fase de repouso, onde após três a quatro meses cai o folículo e começa a produzir um novo pelo, considerada normal a queda de 60 a 100 fios diariamente.
Existem diversos recursos atuais para tratamento de perda capilar, a fim de amenizar os sinais ou retardar seu progresso. Entre os recursos utilizados na terapia capilar está o laser de baixa potência ou fototerapia, podendo ser usado isoladamente ou como coadjuvante de outros tratamentos.
Na terapia capilar, o laser é usado com o intuito de promover ATP (adenoina trifosfato) e AMP cíclico (adenosina monofosfato) pela mitocôndria, importantes para reduzir o estresse oxidativo, eliminar os radicais livres, promovendo o aumento de nutrientes e oxigênio e a eliminação de catabólicos, além de elementos defensivos, promovendo a ação anti-inflamatória.
Com esta ação os folículos trabalham melhor e o crescimento dos cabelos passa a ser mais regular e fisiológico, tendo como consequência a redução da queda e a promoção da recuperação capilar. A forma de aplicação do laser de baixa potência é simples e indolor, com o couro cabeludo íntegro, limpo e seco, no modo pontual utiliza-se uma caneta sempre perpendicular à área aplicada, podendo ficar encostada na pele, pontua-se com a caneta de laser sobre diversos pontos a uma distância entre um ou dois centímetros.
Outro benefício encontrado com o laser é a técnica ILIB (Intravascular Laser Irradiation of Blood), que consiste na aplicação contínua e direta de laser terapêutico vermelho em uma das artérias principais. A aplicação é feita com auxílio de uma pulseira conectando a caneta do laser direcionada na região da artéria radial. Tem como principal efeito fisiológico a produção da enzima superóxido Dismutase (SDO) que age diretamente no combate aos radicais livres (responsáveis pelo envelhecimento precoce, enfraquecimento das células e tecidos, levando a doenças), e energiza todas as células de defesa, promove aumento da microcirculação, aporte de oxigênio e nutrientes, e tem papel fundamental no aumento da imunidade e eficiência do metabolismo.

Andressa Jácomo
Crefito- 3 /149542-F
Fisioterapeuta Dermatofuncional
Terapeuta Capilar – Formada pela Academia Brasileira de Tricologia
Contato: (11) 99544-9684

Compartilhar

Outros Posts