Rinoplastia: a cirurgia plástica no nariz

Postado em 3 de julho de 2018

A aparência do nariz é responsável por grande parte da harmonia facial, principalmente devido à sua posição no centro da face. Por isso, alterações no seu formato podem gerar desequilíbrio entre as unidades estéticas da face.
O que é a rinoplastia?
A cirurgia plástica do nariz ou rinoplastia visa justamente restaurar este equilíbrio estético, sem deixar de lado o aspecto funcional do nariz. Ao longo dos anos, várias técnicas altamente sofisticadas têm sido desenvolvidas para adequar o formato do nariz às características individuais da face de cada paciente.
Atualmente, o cirurgião pode reduzir ou aumentar o tamanho do nariz, alterar a forma da ponta e do dorso, diminuir o tamanho das narinas, refinar a ponta e alterar o ângulo entre o nariz e o lábio superior. A cirurgia de nariz também pode ser realizada para corrigir defeitos já presentes ao nascimento, sequelas de traumatismos ou rinoplastias prévias, assim como problemas respiratórios crônicos.
A estrutura do nariz é muito complexa, incluindo, numa área relativamente pequena, cartilagens de diversos formatos e espessuras, ossos, músculos, mucosa, gordura, pele, irregularidades, depressões. Varia intensamente de acordo com a raça, sexo, idade, carga hormonal, constituição óssea da face, tipo de pele etc. Desta forma, pode-se entender a complexidade e a delicadeza desta cirurgia, assim como as limitações técnicas que às vezes são impostas.
Em determinados casos, a modelagem do nariz exige técnicas reconstrutivas, como o uso de enxertos de cartilagem (retirados geralmente do septo nasal ou das orelhas), de ossos ou confecção de pequenos retalhos mucocutâneos. É importante a observação de alterações funcionais associadas, como dificuldades para respirar, rinites crônicas, coriza, sinusites. Estas podem ser decorrentes de deformidades anatômicas que devem ser corrigidas.
Para se submeter à remodelagem nasal é necessário ter, ao menos, 16 anos, visto que este procedimento só deve ser indicado quando o nariz tiver atingido o seu completo desenvolvimento.
Existem dois tipos de abordagem cirúrgica nas rinoplastias, que diferem basicamente pela forma de acesso às estruturas internas do nariz. Na chamada endorinoplastia ou rinoplastia fechada, o acesso às estruturas nasais se dá através de pequenas incisões no interior das narinas. Essa abordagem não resulta em cicatrizes externas.
Na chamada exo-rinoplastia ou rinoplastia aberta, o acesso às estruturas nasais se dá através de pequena incisão na columela, proporcionando uma visibilidade ampla de todas as estruturas internas do nariz. A cicatriz resultante fica bastante disfarçada, praticamente imperceptível.
A indicação da técnica dependerá das particularidades de cada caso, como alterações anatômicas, cirurgias prévias e preferência da equipe e do paciente, porém ambas são capazes de produzir resultados excelentes. Uma osteotomia (fratura cirúrgica) com reposicionamento do osso pode ser necessária para remodelar o dorso nasal.
Importante sempre passar em avaliação com cirurgião plástico qualificado na área.

Dra. Fernanda Zanetta
Cirurgiã Plástica com título de especialista pela Sociedade de Cirurgia Plástica
CRM:125272
RQE: 61795
www.drafernandazanetta.com.br

Compartilhar

Tags

Outros Posts