Pandemia, estresse e o agravamento de doenças dermatológicas

Postado em 29 de setembro de 2020

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, milhões de pessoas se isolaram para evitar a contaminação. O isolamento prolongado em casa gerou quadro de estresse e ansiedade. Um grande estudo internacional mostrou que as questões psicológicas durante a pandemia aumentaram 90% e os casos de estresse e ansiedade mais que dobraram. Passados meses de incerteza e estresse, o maior órgão do corpo é o que mais sente os efeitos da pandemia – a pele.
Isso ocorre porque há uma íntima ligação entre o sistema nervoso e a pele. O estresse vivido por este momento aumenta a inflamação e a liberação de uma série de hormônios (como o cortisol, adrenalina e derivados). Além disso, reduz a imunidade e aumenta o estado de alerta na pele, promovendo maior incidência de dermatoses.
Entre as mais comuns catalisadas pelo estresse estão a dermatite seborreica, eczemas, queda de cabelo, vitiligo, psoríase, rosácea, urticária e acne.
Um número crescente de pacientes com quadro de acne, principalmente na área da máscara, chama muito a atenção, tanto que recebeu o nome de “Maskne”. Isso se deve tanto ao fato do estresse desencadear uma produção exagerada de sebo quanto ao uso constante da máscara. A máscara abafa o local, aumenta a temperatura e provoca maior sudorese e produção de sebo, entupindo os poros e gerando acne.
As máscaras também podem causar rosáceas, equimoses e dermatites de contato em peles sensíveis. Por isso o diagnóstico médico correto é imprescindível para o tratamento certo.
Para tratar e prevenir o aparecimento de doenças relacionadas ao estresse, além do tratamento medicamentoso prescrito pelo dermatologista, é muito importante a realização de atividades que promovam bem-estar e saúde, como a prática de exercícios físicos, meditações e técnicas respiratórias.
Promover o autocuidado é sempre a melhor forma de cuidar da mente e do corpo.

Por: Dra. Gabriela Capareli
CRM: 131.079 / RQE: 50304
Dermatologista com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia
formada pela Universidade Federal Fluminense
Especialista em Clínica Médica e Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo

 

Foto: Freepik

Compartilhar

Outros Posts