A odontologia e o sono

Problemas multidisciplinares ocasionam dificuldades na hora de dormir. A odontologia trabalha com alguns deles.

Postado em 18 de dezembro de 2018

O que é apneia do sono?
A Síndrome da Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono (SAHOS) se caracteriza pela presença de episódios repetidos de obstrução parcial ou total das vias aéreas superiores, dessaturação do oxigênio da hemoglobina arterial e microdespertares noturnos. Esta síndrome está associada ao ronco alto, engasgos ou asfixia, sonolência diurna excessiva, crescimento de risco cardiovascular, déficit cognitivo e aumento de acidentes de trabalho e rodoviários.
A SAHOS afeta milhões de pessoas, sendo uma desordem respiratória comum, relatada cada vez mais e reconhecida como um sério problema de saúde pública. Considerada uma doença de alta prevalência, a SAHOS acomete mais homens do que mulheres e indivíduos obesos e de mais idade. Foram também associados à síndrome o consumo de bebidas alcoólicas, tabagismo, refluxo gastroesofágico e fatores hormonais como hipotireoidismo, menopausa e gravidez.
Buscar uma vida mais saudável, com atividade física, alimentação balanceada, redução do peso corporal, diminuição da ingestão de álcool, modificação na posição de dormir, tentando sempre dormir de lado, são algumas recomendações para diminuir este problema. O tratamento inclui diferentes abordagens e diversos profissionais, tais como médicos de clínica geral ou especialista em distúrbios do sono, otorrinolaringologistas, cirurgiões de cabeça e pescoço, neurologistas, pneumologistas, nutricionistas e dentistas.
A apneia não tem cura, mas pode ser controlada. Em torno de 70% dos pacientes podem ser tratados com terapia não cirúrgica, seja pela técnica chamada Pressão Positiva Contínua das Vias Aéreas (CPAP), utilizando um pequeno aparelho compressor de ar muito silencioso que se conecta a uma máscara ajustada ao nariz e boca do paciente, ou ainda com a utilização de um dispositivo oral, conhecido como “aparelho do ronco”. Apesar de o CPAP ser eficaz no tratamento da SAHOS, o mesmo não é totalmente aceito pelos pacientes, sendo este um dos fatores que leva ao aumento da procura pelo emprego do dispositivo bucal.
O ronco é o som produzido quando quem está dormindo tem o seu fluxo de ar restringido. O ronco também traz consigo o distúrbio do sono: a apneia. Assim, o que acontece com algumas pessoas é que, com o relaxamento excessivo dos músculos durante o descanso, acontece um bloqueio na garganta, provocando uma interrupção na respiração por até 10 segundos. Isto costuma acontecer na fase de sono profundo, quando toda musculatura está mais relaxada, então no momento da apneia, quando o cérebro percebe que está ficando sem oxigênio, ele provoca um microdespertar para que a pessoa volte a respirar. Estes microdespertares são extremamente prejudiciais, pois impedem que o individuo fique tempo suficiente neste estágio de sono reparador, momento em que são liberados hormônios responsáveis pelo crescimento, pelo controle da saciedade e pela regulação imunológica. Os pacientes com apneia e hipopneia obstrutiva do sono tem seu risco aumentado para infarto, derrame cerebral, entre outros, o que pode ser minimizado com os tratamentos acima citados.

Por: Doutor Claudio Camargo
CRO-SP-51053
COE
Contato: 4654-3876
www.coeodontologiaestetica.com.br

Compartilhar

Outros Posts