Odontologia digital: A reconstrução de sorrisos com lentes de contato

Postado em 7 de abril de 2021

Enquanto seres humanos, nós desfrutamos de múltiplas noções e percepções da estética, temática cujas particularidades sempre chamaram a atenção do cirurgião dentista, doutor Carlos Russo, sobretudo no que diz respeito à estética facial e do sorriso.
Desde os primeiros anos de profissão ele vislumbrava os aspectos estéticos do sorriso de um paciente. “Não sabia o porquê de este estar insatisfatório esteticamente, não tinha critérios específicos para fundamentar esta questão”, conta.
Para ele era notório que faltava algo para alcançar os resultados que gostaria. Foi então que consequentemente decidiu estudar prótese laboratorial e montou seu próprio laboratório dental. Em função disso, ele teve a oportunidade de aperfeiçoar-se em porcelana dental na Alemanha.
Nos 42 anos de profissão que completou no ano passado, doutor Carlos Russo tem investido em várias áreas da odontologia, utilizando cirurgia plástica gengival, cirurgias ósseas, enxertos e implantes. No presente, com a utilização de lentes de contato, facetas e coroas de porcelana, pode-se asseverar que houve grande evolução tecnológica nesta área no tocante ao âmbito clínico e laboratorial.
Os recursos digitais com o Sistema CAD/CAM, em que softwares de desenho e máquinas fresadoras ou impressoras 3D possibilitam o planejamento e a produção de trabalhos com grande exatidão, mostram-se indispensáveis para se atingir os resultados estéticos e funcionais esperados.
“Por esta razão, acredito ser de extrema importância a utilização de todos os recursos digitais, com fotos e vídeos dos pacientes, software para a análise do sorriso (smile design) e mock-up (ensaio na boca), antes de iniciar o tratamento. Isso possibilita executar degastes minimamente invasivos. Assim mostramos na própria boca do paciente como ficará a forma e a estética dos dentes antes de começar o tratamento”, explica doutor Carlos Russo.
O processo digital tem início com o escaneamento da boca, obtendo imagens fotográficas que após processamento são convertidas em imagens 3D, com precisão micrométrica. Assim evitamos a necessidade das moldagens na boca. Esses dados digitalizados possibilitam desenvolver vários tipos de trabalhos, os quais podem ser planejados e guiados pelo computador.
Na clínica do doutor Carlos Russo eles trabalham com o escâner de boca, cujo treinamento fora realizado na Dinamarca, o que, consequentemente, o motivou a explorar vários caminhos na odontologia com maior rigor em técnicas e agilidade durante o desenvolvimento dos tratamentos.
“Hoje, recorrentemente, atendo a pacientes que permanecem em consulta por períodos prolongados, ou mesmo no decorrer de um dia inteiro, de modo que eu consiga concluir o tratamento em algumas semanas, diferente do passado, quando o faziam em vários meses”, explica.
Doutor Carlos Russo acrescenta ainda a relevância do sujeito paciente, no que tange seu bem-estar e a todos os fatores inerentes ao tratamento, como medo, cansaço ou às expectativas correspondentes a cada caso clínico. “Primando às singularidades de cada indivíduo, afinal um dos grandes prazeres desta profissão é notar que o paciente, ao concluir um tratamento, encantou-se com seus resultados”, conclui.

Por: Dr. Carlos Russo
CROSP: 20574
42 anos de experiência clínica
Reabilitação oral com reconstrução de sorrisos
Odontologia Digital
Especialização Estomatologia /USP
Aperfeiçoamento na Alemanha na área de Prótese e Porcelana
Aperfeiçoamento em Implantodontia no P-I Branemark Institute
Aperfeiçoamento em Halitose
Pós graduação em Implantes
Docente durante 8 anos na Universidade Paulista e na Universidade de Mogi das Cruzes
Contato: (11) 99518-0863
Foto: Freepik

Compartilhar

Tags

Outros Posts