O que é bicho geográfico?

Postado em 30 de novembro de 2020

Bicho geográfico é o nome popular para Larva migrans cutânea. É uma lesão de pele causada pelo parasita Ancylostoma, presente no intestino e nas fezes de cães e gatos contaminados.
Geralmente, esses animais depositam suas fezes contaminadas com esse parasita em gramados, tanques de areia, praias, quintais e até quadras de esporte.
Ao caminhar, sentar ou ter algum tipo de contato da pele com esse solo contaminado, acontece a transmissão do bicho geográfico.
Por estarem escondidas no solo, as larvas costumam penetrar nos pés, joelhos, nádegas e mãos, causando lesões que podem formar túneis inflamados que ficam com aspecto semelhante ao contorno de um mapa, por isso passou a ser conhecida como bicho geográfico.
O primeiro sinal da infecção é um ponto vermelho saliente que fica no lugar por onde a larva penetrou.
Coceira que piora durante a noite, linhas vermelhas, inchaço e sensação de movimento debaixo da pele são sintomas do bicho geográfico.
O seu tratamento baseia-se no uso de antiparasitário, tanto em forma de pomada como em comprimidos.
Em alguns casos são necessários anti-inflamatórios e antibióticos, por causa da infecção causada pela migração das larvas.
Algumas medidas simples podem ser tomadas para prevenção dessa infecção:
1 – Evite andar descalço em locais que não conhece as condições de higiene.
2 – Quando for para a praia, use uma toalha ou esteira no local onde for se deitar.
3 – Lave bem as mãos antes e depois das refeições, após recolher as fezes dos cães ou trocar a areia da caixinha dos gatos.
4 – Leve os animais ao veterinário para que eles estejam com a saúde em dia.
5 – Dificulte o acesso de animais aos tanques de areia, onde as crianças brincam.
Ao primeiro sinal de lesões possíveis de bicho geográfico busque ajuda de um médico dermatologista, evite automedicação.

Por: Dra. Gabriela Capareli
CRM: 131.079 / RQE: 50304
Dermatologista com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia
formada pela Universidade Federal Fluminense
Especialista em Clínica Médica e Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo
Foto: Freepik

Compartilhar

Outros Posts