A metáfora do rio e do oceano

Postado em 6 de março de 2019

“Você sabe, no fundo, que já tem tudo que é necessário para agir, mas fica congelado por conta do medo,” Rafael Seabra.
Deparando-me com esta afirmativa, fiquei pensando sobre esse sentimento básico (medo), que tantas vezes nos protege, outras tantas nos paralisa e que sabemos ser uma emoção natural, sentida por todas as pessoas em diferentes momentos da vida.
A inteligência emocional nos fala de dois medos: 1º – O real – respeite-o, pois ele é o seu agente protetor; 2º – o emocional – temor de situação frustrante. Ele pode despertar o sentimento de culpa, de inferioridade, de incapacidade, de perda etc., sem mesmo que o sentimento, necessariamente, possa acontecer.
Então, caros leitores, ao ler esta metáfora que apresento convido-os a repensarem seus medos.

O rio e o oceano
Diz-se que, mesmo antes do rio desaguar no oceano, ele treme de medo. Ele olha para trás, lembra toda a jornada, as montanhas, os lugares por onde correu e o sinuoso caminho que percorreu. Ah! Quantas coisas que ele passou, ele viu, ele sentiu, ele viveu e, agora, à sua frente surge um imenso oceano, tão grandioso, tão assustador, que entrar nele nada mais é que desaparecer para sempre.
Então, caros leitores, quantas vezes a vida nos pergunta: Você pode voltar?
Ah! Se pudéssemos voltar. Entretanto, tal qual o rio, não podemos voltar. Ninguém pode voltar. Voltar é impossível na existência. Apenas podemos ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano. E você, tem outra saída?
Acredite, somente quando o rio entra no oceano é que o medo desaparece, porque o rio passa a entender que não se trata de desaparecer no oceano, mas de tornar-se o oceano também.
Sendo assim, amigo(a), em nossos casos, do mesmo modo não se trata de desaparecer, de morrer, mas de renascer, através da ressignificação e trabalhando as nossas crenças limitantes que, sem dúvida, são auto realizáveis, no entanto posso lhes afirmar que provavelmente cicatrizes ficarão, mas não mais doerão.
Quando em nossa vida o oceano se apresentar, devemos nos encorajar e acreditar que não vamos desaparecer, que através da ressignificação nós podemos mudá-la e ficarmos mais fortes. “A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente”.
Visto isso, caro(a) leitor(a), caso você esteja com medo diante do seu oceano, convido-o(a) a procurar um profissional que, no mínimo, vai ampará-lo(a) nesta travessia, ensinando-o(a) a acreditar em si mesmo(a) e na sua capacidade, pois ninguém mais, além de você, é o responsável pela sua felicidade.

Por: Cândida Possebon
Profissional & Self Coach
Certificado 6097 – IBC Instituto Brasileiro de Coaching
Formação em Coaching Assessment
Formação em Coaching Ericksoniano (Hipnose)
Pelo Instituto Health Coaching
Pós Graduada em Emagrecimento
www.candidapossebon.com.br
Contato: (11) 97450-7135

Compartilhar

Outros Posts