Menopausa x saúde bucal

Postado em 17 de novembro de 2017

Menopausa x saúde bucal

As mulheres podem sofrer muitas alterações corporais durante a menopausa. Algumas dessas mudanças acontecem na boca, onde as variações hormonais podem levar a sintomas orais desfavoráveis.
A menopausa, que sinaliza o fim da fertilidade feminina, é uma parte normal do processo de envelhecimento. As mulheres que passam por ela devem discutir quaisquer alterações bucais com seus dentistas, uma vez que as variações hormonais da menopausa podem ser responsáveis por alguns desses sintomas, ao passo que outros fatores podem contribuir ou causá-los.
Algumas alterações e possíveis problemas bucais que podem estar associados à menopausa:
Síndrome da boca ardente: essa alteração hormonal causa dor intensa e pode afetar a língua, lábios, palato, gengivas e áreas de suporte da dentadura.
Xerostomia: ocasionada pela diminuição da saliva, pode propiciar o aparecimento de cáries e mau hálito.
Alterações na mucosa: a gengiva pode sangrar com facilidade e parecer pálida, seca e brilhante.
Periodontite: pode causar a perda de dentes. As mulheres podem se tornar mais susceptíveis a esta forma destrutiva das gengivas.
Osteoporose: a perda óssea de tecidos de suporte do dente pode estar relacionada à osteoporose.
Distúrbios de alimentação: angústia psicológica relacionada à menopausa pode levar a hábitos alimentares inadequados em algumas mulheres, incluindo o vômito intencional. Esses hábitos podem causar trauma à boca, incluindo erosão do esmalte do dente.

No consultório odontológico
A equipe odontológica possui papel fundamental durante este período, muitas vezes, conturbado, para garantir a perfeita saúde bucal da mulher. “A complexidade das manifestações causadas pela menopausa à saúde da mulher exige atendimento multiprofissional e, com certeza, o cirurgião-dentista deve ser requisitado”, defende o doutor Claudio, que afirma que a conscientização da população com relação a essa realidade feminina deve começar nas fases mais precoces de suas vidas, no intuito de minimizar todos os sintomas. “Toda e qualquer conduta odontológica deve ter enfoque preventivo, embasado nos cuidados essenciais de higiene e na manutenção da saúde bucal. Proceder com orientações sobre o uso de fio dental, escovas macias, enxaguatórios específicos ao problema relatado e observado, assim como visitas regulares ao dentista para limpeza e procedimentos no geral”, acrescenta.
É de extrema importância a regularização do fluxo salivar, tendo em vista que a saliva desempenha um papel importante na limpeza das papilas gustativas da língua, responsáveis pelo reconhecimento do sabor dos diferentes alimentos. O resultado é que a percepção de sabores fica prejudicada e, desta forma, faz com que o mau hálito fique mais perceptivo nestes pacientes. “Devemos realizar o tratamento da xerostomia, assim como aliviar os sintomas de ardência bucal, procedendo com o uso de saliva artificial, enxaguantes que promovem a reposição de enzimas perdidas na saliva, lubrificante lingual, cremes dentais apropriados e o uso da laserterapia com infravermelho”, conclui o cirurgião dentista.

Dr. Claudio Camargo
Cirurgião Dentista – Especialista em Dentística Restauradora e Estética
drclaudiocamargo@ig.com.br
Fones: (11) 4654-3876 / 4654-3877 / 9-8114-8213

Compartilhar

Outros Posts