A hipnose como solução para o medo derivado do stress

Postado em 2 de maio de 2019

Insegurança, tragédias, doenças, violência, crise financeira… o ano de 2019 tem sido um ano que está desafiando o limite do stress na vida das pessoas. O estilo de vida geral e os acontecimentos recentes têm exigido que a população tenha nervos de aço, e esta combinação é fatal para que o nível de tensão se transforme em medo no dia-a-dia.
Infelizmente, a tensão hoje é permanente. Não importa mais se é dia, noite, se o bairro é nobre, se há alguém doente na família, ou não. As pessoas estão assustadas e sentem muito medo de que alguma coisa ruim aconteça com elas.
Mas por que, então, o medo tem se projetado na vida dos indivíduos de forma a prejudicar as atividades diárias? O excesso de tensão junto com a dura realidade do dia a dia está transformando algo que é fundamental para a sobrevivência em uma doença. Está cada vez mais difícil de distinguir o medo racional do irracional.
Hoje podemos afirmar que um dos principais gatilhos para processos de ansiedade e desequilíbrio emocional é o stress. O excesso de tensão projeta nas atitudes o sentimento vivido em uma situação de medo e/ou leva as pessoas a viverem sintomas mais aprofundados como as crises de pânico. E esse medo pode repercutir no organismo de várias maneiras e gerar problemas físicos e emocionais, como infarto, úlcera, insônia, depressão, problemas hormonais, diabetes, entre muitos outros.
O stress leva a um estado de tensão permanente, que acaba por gerar o medo disfuncional. O indivíduo começa a evitar situações, como dirigir, sair de casa, se relacionar com as pessoas, ir à farmácia, fazer academia e quando percebe está com sua vida paralisada.
O medo disfuncional também aparece quando o indivíduo “foge” de pessoas ou situações, esquivando-se da verdade, fingindo que está tudo bem, não encarando de frente aquele assunto mal resolvido.
Outras pessoas, quando se sentem ameaçadas, ao invés de paralisarem ou fugirem, atacam, e ao atacarem ferem pessoas e a si mesmas. Atacam não porque querem, mas como forma de defesa, pois a mente inconsciente entende que é melhor ferir do que ser ferido.

Pânico e fobias
Todas as reações ao medo se convergem e surge uma grande preocupação: evitar o confronto com os próprios sentimentos. A mente tenta se blindar desses sentimentos subconscientes – criados por traumas ou stress crônico – e cria rotas para canalizar as sensações. Por isso há um grande aumento nos casos de crises de pânico e fobias (medo de baratas, lugares fechados, animais que voam etc). São estímulos encaminhados ao corpo pelo cérebro e, embora as sensações no corpo pareçam bastante reais, são sensações criadas pela mente. Uma vez que esteja ciente das causas, é possível lidar com o medo ou até mesmo removê-lo totalmente.

Como a hipnose atua nesses casos
O primeiro passo é descobrir quais memórias ou situações que o stress acionou para que possam ser neutralizadas.
Neutralizando os gatilhos que desencadeiam o medo disfuncional gerado pelo stress, a pessoa volta a se sentir mais segura e equilibrada. Qualquer estímulo interno ou externo pode ativar uma memória traumática, por isso o ponto central para a hipnoterapia é eliminar a dor da memória.
A hipnoterapia é uma ferramenta muito eficaz para autoconhecimento, pois dá ao cliente maneiras para reconhecer melhor suas próprias emoções, sabendo quando estão equilibradas ou quando podem estar sendo influenciadas por algum sentimento trazido pela lembrança ou por um acontecimento externo que não dependeram da sua vontade.
Para que o indivíduo tenha condições de atingir seus objetivos é preciso que tenha uma vida cada vez mais equilibrada para lidar com os desafios sem se sentir impedido ou acuado. E com a hipnose é possível ter uma vida muita mais leve e com menos frustrações, consequentemente uma vida mais feliz!

Por: Patrícia Mendes Guimarães
Diretora do Instituto Hipnose Clinic
Contato: 4653-0063 / WhatsApp: 96020-2806
www.institutohipnoseclinic.com.br

Compartilhar

Tags

Outros Posts