Criança do Ensino Fundamental consegue adaptar-se em escola bilíngue

Postado em 28 de maio de 2019

Novos professores, novo ambiente, diferentes tipos de didática e colegas que já se conhecem de outros anos, mudar de escola é desafiador para qualquer criança. Este processo, geralmente, envolve docentes, pais e o próprio aluno, que deve, pacientemente, passar pelo período de adaptação.
Quando as crianças são matriculadas em uma escola bilíngue e há um novo idioma envolvido, as diferenças podem ser ainda maiores, pois o pequeno enfrentará todos os desafios típicos de uma mudança e ainda existirá o fato de estar supostamente “atrasado” no segundo idioma em relação aos colegas.
Neste momento, todos os envolvidos entram em ação: pais, professores, coleguinhas e familiares dão o apoio necessário para que a criança perceba que a adaptação será muito mais tranquila e divertida do que se possa imaginar!
A criança que entra mais tarde em uma escola bilíngue deve ser amorosamente acolhida por todos para que possa se adaptar à imersão em outro idioma e cultura que pode ser muito diferente da realidade escolar vivida anteriormente por ela.
Nesta fase de adaptação, a segurança e a confiança dos pais é primordial. Eles devem encorajar a criança de que ela será muito bem acolhida e que vai tirar de letra a nova cultura na qual será inserida.
No dia-a-dia percebemos que a insegurança dos pais às vezes é maior que o medo da criança. Elas, na verdade, acabam surpreendendo a própria família ao se adaptarem facilmente ao novo ambiente e ao segundo idioma em um período muito rápido. É preciso lembrar que as crianças de hoje lidam com um acúmulo muito maior de informações do que a nossa geração e que a linguagem estrangeira faz parte do dia a dia delas, o que acaba minimizando os efeitos quando se tem contato com o segundo idioma.

Adaptação sem traumas
Para facilitar o ingresso da criança em sua nova realidade escolar, algumas escolas trabalham com um programa de adaptação à educação bilíngue. Geralmente, os colégios de fato bilíngues permitem o ingresso de alunos novos até o final do Ciclo 1 do Ensino Fundamental para que possa fazer uma adaptação tranquila, que não impacte no ensino obrigatório estabelecido pelo MEC, nem acarrete à criança horas e horas de reforço escolar.
Cada aluno novo tem uma adaptação individualizada conforme seu progresso na inserção estrangeira. Em sala, os professores têm atenção especial a essas crianças, para que se sintam menos perdidas nas aulas. Como já falamos, o apoio dos pais é imprescindível em casa e também no acompanhamento das atividades.
Aqui entra o papel essencial das atividades lúdicas. A imersão acontece de forma que priorize as brincadeiras, enquanto nas aulas de Português o currículo nacional é cumprido, nas aulas de Inglês os alunos têm contato com jogos, literatura, cultura inglesa e outros, o que permite que a interação e adaptação seja muito mais eficaz, sem que haja defasagem de aprendizado em português, matemática, ciências etc.
Os efeitos das atividades de adaptação e reforço escolar variam de caso a caso. Cada criança tem sua própria aptidão linguística, ou seja, algumas se saem muito bem e absorvem a língua rapidamente e outras precisam permanecer um pouquinho mais com as atividades de reforço. Mas é preciso ressaltar que, em questão de ensino o mais importante não é o tempo, mas sim a imersão feita sem traumas, respeitando o tempo de cada aluno. A vivência escolar diária nos mostra que os resultados são muito positivos e as crianças tornam-se progressivamente competentes, sem prejuízos na grade curricular convencional.
Portanto, papais, não tenham medo, seu filho vai tirar de letra a imersão em uma cultura bilíngue.

INÁ SANCHES
Diretora Pedagógica
Mantenedora do Colégio Hipercubo Bilíngue
Contato: (11) 3754-3777 / 94254-3777

Compartilhar

Tags

Outros Posts