Como identificar que uma escola é, de fato, bilíngue

Postado em 11 de março de 2019

Escolher o colégio que a criança vai estudar é uma decisão muito importante e nem sempre é fácil definir, diante de tantas opções que o mercado hoje oferece. Em nossa experiência, também é possível dizer que o fator financeiro nem sempre é o que define a escolha de um colégio. Pais e cuidadores também avaliam o perfil da unidade do ensino com base no método apresentado, opções extracurriculares e, o mais importante, o diferencial!
Dentro das propostas diferenciadas, as escolas que prometem o benefício de outro idioma além do português costumam chamar mais a atenção dos pais, que estão preocupados com o futuro e também no custo x benefício, uma vez que um segundo idioma cria melhores oportunidades para o adulto que a criança vai se tornar em alguns anos.
De olho neste mercado, muitas escolas com currículos variados estão se apresentando como “escolas bilíngues” para os pais, no intuito de atrair mais alunos para a proposta, mas o ensino de um segundo idioma no Brasil segue determinações específicas do MEC, que acaba enquadrando a segunda língua em diferentes tipos de perfil escolar.
Para que a escolha de um colégio seja feita de forma mais consciente, conheça algumas características determinantes para que um colégio seja denominado como escola propriamente bilíngue, e não um colégio com Programa Bilíngue.
Escola Bilíngue
Diferentemente das escolas tradicionais, que ensinam idiomas em matérias específicas, as escolas bilíngues utilizam o segundo idioma na totalidade de suas aulas, desde a Educação Infantil. Em vez de os alunos terem aulas A MAIS de inglês, eles têm aulas EM inglês. Ciências, Biologia, Matemática, todas as matérias ensinadas nesse segundo idioma. É um processo de completa imersão cultural.
Em escolas bilíngues as crianças leem autores brasileiros e internacionais, uma vez que, em geral, no ensino bilíngue o período de aula é dividido em dois. Nos colégios que adotam o método de até 50% das aulas em inglês não há deficiência no ensino em português. As turmas sempre têm um professor da língua materna e outro de inglês. A taxa de resultado é de 100%, já que o foco na vivência do inglês facilita o ensino, tornando o aprendizado do segundo idioma algo natural para as crianças. As escolas bilíngues, nos finais do ciclo do Fundamental e Ensino Médio são aptas a emitir certificado internacional, o chamado certificado High School. Com ele, o estudante poderá concorrer a vagas em universidades americanas, canadenses etc. e também estará mais preparado para fazer exames como TOEFL, TOEIC ou até mesmo nem precisar fazê-los.
Costuma-se dizer que uma escola bilíngue nasce bilíngue pelo fato do material didático ser completamente desenvolvido para a vivência no inglês, além da língua materna. Todo o material é pensado para absorver a linha de ensino bilíngue, desde o início, sem que seja preciso material complementar, pois o segundo idioma nunca é pensado como complemento ao ensino, mas sim parte igualitária, tal qual o português, no desenvolvimento cognitivo e na aprendizagem dos alunos.

Educação de elite
O ensino propriamente bilíngue também é intitulado, no meio educacional, como a educação de elite, pois a educação baseada na vivência do inglês não só habilita o aluno ao total domínio de um segundo idioma como desenvolve nas crianças mecanismos de atenção muito maiores do que nos monolíngues. Crianças bilíngues são capazes de trabalhar melhor em situações de tomada de decisão e em situações de distração. Elas se tornam adultos mais preparados, com inteligência emocional mais estruturada, o que traz benefícios para todas as áreas da vida.

INÁ SANCHES
Mantenedora do Hipercubo Colégio Bilíngue

Compartilhar

Tags

Outros Posts