Cada pessoa obtém aquilo que mais deseja

Postado em 11 de setembro de 2018

Prezado (a) leitor (a), no artigo de hoje eu trago uma importante dica sobre sucesso e qualidade de vida, na verdade, é a primeira de muitas dicas.

Eu começo contrariando uma frase bastante difundida por muitos palestrantes e coachs: “Cada pessoa obtém aquilo que mais deseja”.

A questão realmente importante não é desejar, e sim, desejar direito. Se você desejar ser rico, dificilmente será. Se quiser a felicidade, a angústia se tornará sua constante companhia. Uma dica: queira, antes de qualquer coisa, saber identificar boas oportunidades, escolher as melhores e aproveitá-las bem; o resultado será, indubitavelmente, prosperar e uma profunda sensação de bem-estar que costumamos chamar de felicidade.

Ao desejar ficar rico, inconscientemente, declara-se pobre. O medo, o pavor aos problemas financeiros, consequentemente, se instalam.

O conceito de pobreza deve ser compreendido amplamente: pobreza não é, exatamente, não ter dinheiro. Pobreza é, mais propriamente, viver “afogado em dívidas ou acorrentado às circunscrições”. Não são poucas as pessoas que vivem assim, mesmo tendo um patrimônio estimado em alguns milhões.

O sucesso financeiro não deve ser medido pelo seu contracheque. Já vi executivos, bem remunerados, terem que contar com todo o salário mínimo do primeiro emprego de seu jovem filho, a fim de pagar contas básicas, como as de água e luz; executivos que, com altos salários, afogam-se em dívidas para criar um status ilusório. Se não tivessem o cartão ou vale refeição (VR) fornecido pela empresa, morreriam de fome! De que adianta seu terno caro, sua casa luxuosa?

Tolamente, esses executivos pleiteiam um aumento de salário ou promoção, querendo equilibrar as contas, vindo rapidamente a se frustrarem, pois, nem o aumento de salário ou a promoção os tira do atoleiro.

Dinheiro é ilusão. Oportunidades constituem a “coisa real”, um bem que nos conduz, de um bom modo, a bens.

O que mais limita ou liberta o homem não é tanto a falta ou o acúmulo de dinheiro; a falta de identificar e de saber aproveitar oportunidades é o que, realmente, limita o homem. Obviamente, o inverso disso é o que o faz prosperar.

Pensar em dinheiro traz ansiedade, medo etc. Pensar em oportunidades traz motivação, empolgação, entusiasmo. E uma pessoa entusiasmada é sempre uma pessoa bem mais feliz.

Até nosso próximo encontro. Sucesso e qualidade de vida!

Julio Cesar – Jornalista, psicanalista, teólogo, artista plástico, diretor-executivo em Editora Gaivotas e diretor-geral da Gaivotas – Centro de Estudos.
Facebook: @GaivotasEditora
Facebook: @Gaivotas-CentrodeEstudos
E-mail: julio.cesar@editoragaivotas.com.br

Compartilhar

Tags

Outros Posts